Fabrício Lemos

Um apaixonado por frutos do mar e uma apaixonada por doce de leite com um objetivo em comum: resgatar a identidade gastronômica da Bahia, aliando ingredientes regionais e frescos com técnicas contemporâneas de culinária. O chef Fabrício Lemos e a chef patisserière Lisiane Arouca escolheram sua cidade natal, Salvador, para instalar o Restaurante Origem. Mas o variado cardápio que criaram – servido exclusivamente como menu degustação – propõe um passeio para além das fronteiras da capital, buscando unir sabores dos cinco biomas baianos e apresentar o melhor da Bahia além do dendê.  

Depois de 14 anos nos Estados Unidos, onde se formou pela tradicional escola de gastronomia Le Cordon Bleu e trabalhou em restaurantes da luxuosa rede de hotéis The Ritz-Carlton, Fabrício retornou ao Brasil em 2010 disposto a alavancar a culinária de seu estado. A intenção era promover uma gastronomia baiana original, que recuperasse sabores tradicionais em pratos inovadores e capazes de suscitar lembranças e emoções de maneira simples e confortável ao paladar.

Em Salvador, Fabrício passou pelo Mistura, criou o conceito do cardápio do Al Mare e ficou quatro anos à frente da cozinha do premiado Amando, de Edinho Engel, até fundar o seu Origem, com Lisiane Arouca, em 2016. O rápido sucesso da casa, que funciona apenas para jantares com reservas, consolidou o nome do chef como referência da nova comida baiana e o alçou ao posto de promessa da gastronomia nacional.

O propósito do Origem, como sugere o nome do restaurante, é o resgate da memória afetiva pelo paladar. Assim, nasceram receitas como o “abarajé”, combinação dos clássicos baianos abará e acarajé servida com vatapá, e o snack de camarão com biscoito de polvilho, aïoli de pimenta doce e vinagrete de caju, inspirado nos famosos biscoitinhos de Vitória da Conquista. Outras iguarias, como licuri, umbu e siri mole, também são garimpadas por Fabrício em seus locais de origem, junto a pequenos produtores. 

– O conceito do nosso restaurante é mostrar a Bahia além do dendê e de Salvador – explica o chef. – Por isso, vamos até o interior do estado, estudando cada bioma e buscando raridades com produtores locais, a fim de desenvolver uma verdadeira gastronomia de identidade – completa. 

*programação sujeita a alteração - salas sujeitas a lotação máxima. 

 

Conheça a associação e fique por
dentro de outras ações e novidades